7 Técnicas de composição ensinadas pelo O Gambito da Rainha !

Atualizado: Abr 27

Quem assistiu o Gambito da Rainha sabe o sucesso que está fazendo. Mas não foi só pela bela construção de roteiro que a série possui ou pela atuação marcante da Anya Taylor‑Joy.


Um dos grandes méritos vem do Steven Meizler que assina a direção de fotografia com qualidade ímpar.


Quando percebemos que os filmes são apenas um monte de fotografias em sequência, podemos perceber uma série de técnicas e estilos fotográficos aplicados nessa arte.


Nada impede que façamos o contrário e possamos aprender algumas técnicas de composição com O Gambito da Rainha.



#1. Linhas principais




Uma das principais características de uma boa composição é que ela guia a visão do espectador através dos quadros.

Enquanto temos uma tendência natural de seguir linhas no mundo real, fazemos a mesma coisa quando olhamos pra imagens. Inconscientemente as linhas nos mostram para onde olhar, principalmente quando compartilham da mesma direção.



Essa técnica tem sido usada por vários fotógrafos e O Gambito da Rainha a usa bastante. As linhas geralmente estão apontando para a personagem principal, Elizabeth Harmon, destacando-a ou afastando-a, de modo a ajudar a contar um pouco da história sem usar palavras.


#2. Simetria





As linhas principais também podem aparecer junto a uma outra técnica de composição chamada de Simetria.


Também temos uma tendência natural a equilibrar a cena igualmente entre a esquerda e a direita. Imagens mais equilibradas são agradáveis de se ver.


Mesmo que seja comumente usada na fotografia de arquitetura, também podem ser usadas para fotografar pessoas.


Beth é posicionada simetricamente e assimetricamente de acordo com o progresso da história, causando diferentes impactos.



#3 Padrões e ritmo



Se tem uma composição que você pode perceber durante os episódios é o uso de padrões e ritmo. A série é riquíssima em padrões dos anos 50 e 60, arquitetura e designs únicos que só enriquecem o cenário.


A repetição em si, dita como seus olhos vão ser guiados na imagem. Uma coisa que podemos fazer enquanto estamos fotografando é procurar por padrões de repetição e quebrar esse padrão com uma pessoa, exatamente como fazem na série.


#4. Enquadramento dentro de enquadramentos (Framing)




Falando de enquadramento e sub enquadramentos, a série usa e abusa desse recurso. Começa com o tabuleiro de xadrez, que vira e mexe é usado em cima de um circulo, criando contraste e atraindo a atenção para o quadrado central, logo depois janelas e portas são usados com maior frequência pra atrair a atenção do espectador para uma área especifica da cena.


#5. Espaço negativo



A série é surpreendentemente escura, sempre com focos específicos de luz, o resultado é sempre uma presença grande de espaço negativo, destacando os sujeitos. Espaço negativo é algo usado eventualmente na fotografia e traz sensações de vazio, isolamento e solidão aos personagens.



#6. Profundidade e camadas



A série também experimenta da tridimensionalidade da imagem, facilitando a inserção do personagem no mundo e criando profundidade na cena. Essa técnica é muito comum na fotografia de paisagens, para situar melhor o espectador da distancia dos elementos em quadro.



#7. Recortes e retratos



Por fim, O Gambito da Rainha usa frequentemente planos recortados, chamados no cinema de Plano Detalhe. É uma técnica que evidencia mais as expressões dos personagens. Quanto mais longa for a duração desse plano, mais tensão é trazida ao espectador (o que não é possível na fotografia por tratar-se de um único quadro), além de isolar o personagem do restante do cenário.




Assistir a filmes é um excelente exercício de composição, há quem o faça sem a distração do sons e efeitos sonoros pra aumentar ainda mais a interação com os enquadramentos.


E você, ainda está olhando as produções audiovisuais da mesma maneira?



42 visualizações1 comentário